Aula 13 - O TEXTO INFORMATIVO

 

No texto informativo, encontrado sobretudo em jornais, revistas, enciclopédias, o tema costuma ser um fato ou uma série de fatos ocorridos sucessivamente no mesmo local (uma guerra ou uma disputa esportiva, por exemplo), em um certo período de tempo. A notícia e a reportagem são também textos jornalísticos. O texto jornalístico apresenta um encadeamento lógico de ideias e revela fatos com clareza e exatidão. Quem escreve esse tipo de texto é o jornalista, que deve usar um tom sóbrio, objetivo, interpretar fatos e estabelecer analogias. Lembre-se: um jornalista, um romancista ou outro autor não escreve de forma totalmente impessoal e imparcial. O texto sempre expressa uma opinião, um posicionamento.

Notícia

O principal objetivo da notícia é levar informação atual a um público específico. A notícia conta o que ocorreu, quando, onde, como e por quê. Para verificar se ela está bem elaborada, o emissor deve responder às perguntas:

  • O quê? (fato ou fatos)
  • Quando? (tempo)
  • Onde? (local)
  • Como? (de que forma)
  • Por quê? (causas)

A notícia apresenta três partes principais:

  • Manchete (ou título principal) - resume, com objetividade, o assunto da notícia. Essa frase curta e de impacto, em geral, aparece em letras grandes e destacadas.
  • Lide (ou lead) - complementa o título principal, fornecendo as principais informações da notícia. Como a manchete, sua função é despertar a atenção do leitor para o texto.
  • Corpo - contém o desenvolvimento mais amplo e detalhado dos fatos.

A notícia usa uma linguagem formal, que segue a norma culta da língua. A ordem direta, a voz ativa, os verbos de ação e as frases curtas permitem fluir as ideias. É preferível a linguagem acessível e simples. Evite gírias, termos coloquiais e frases intercaladas.
Os fatos, em geral, são apresentados de forma impessoal e escritos em 3ª pessoa, com o predomínio da função referencial, já que esse texto visa à informação.
A falta de tempo do leitor exige a seleção das informações mais relevantes, vocabulário preciso e termos específicos que o ajudem a compreender melhor os fatos. Em jornais ou revistas impressos ou on-line, e em programas de rádio ou televisão, a informação transmitida pela notícia precisa ser verídica, atual e despertar o interesse do leitor.
Veja o exemplo abaixo:

Aumenta o número de pobres no mundo
Relatório da Unctad calcula em 307 milhões o total de quem vive com
menos de US$ 1,00

Jamil Chade
Correspondente

"GENEBRA - O número de pobres cresceu e já chega a 307 milhões de pessoas no mundo. Relatório da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad) publicado ontem mostra que nos últimos 30 anos o número de pessoas que vivem com menos de US$ 1,00 dobrou nos países menos desenvolvidos.
Para a agência da ONU, o dado mais preocupante é a tendência de que esse número aumente até 2015, quando os países menos desenvolvidos poderão passar a ter 420 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza. (...)Para a Unctad, um dos fatores do aumento da pobreza é a queda nos preços das commodities*, que em vários países são a principal fonte de renda.
O secretário-geral da Unctad, o brasileiro Rubens Ricúpero, acredita que uma das saídas para a redução da pobreza seja a promoção de políticas que diversifiquem as exportações. 'Não podemos dizer que esses países não estão integrados à economia mundial. O que deve ocorrer é uma mudança na forma de integrar-se:
Ele também defende que os governos enfoquem o crescimento econômico como prioridade. 'Somente assim a renda das populações poderá aumentar: (...)


Malaui, país do sudeste da África, enfrenta a pior fome nos últimos 50 anos, em que 70% da população de 11 milhões é famélica. (Na foto, Malaui em 1989)

Enquanto o mundo vê o número de pobres aumentando, a ajuda dos países ricos aos governos mais miseráveis diminui. Ricúpero lembra que entre 1990 e 2000, o volume de ajuda externa caiu 46%. Ontem, porém, os Estados Unidos anunciaram ajuda de US$ 14 milhões para Malaui (...)."
O Estado de S. Paulo, 19 jun. 2002.

*. Commodity. produto primário, geralmente de origem agropecuária (como café, açúcar, carne), produzido em larga escala e destinado ao comércio externo.


Atividades

1- Qual é a manchete da notícia que você acabou de ler?

2- O lide, em geral, é uma frase que acrescenta mais informações à manchete. Localize e escreva o lide dessa notícia.

3- O que significa ser correspondente, como o autor do texto Jamil Chade, que é correspondente em Genebra?

4- Para a agência da ONU, o que pode ocorrer no mundo até 2015?

5- Como é a linguagem da notícia que você leu?

6- Escreva uma notícia a partir da foto que se segue. Lembre-se de que a notícia é formada de manchete, lide e corpo.


Tráfego em rua de Dacca, Bangladesh, 1998.


Reportagem

A reportagem é uma notícia ampliada. Enfoca um assunto ou fato de forma abrangente, apresentando mais detalhes. O texto é, geralmente, mais longo que o da notícia, com diversas opiniões e versões do mesmo fato. A linguagem é formal, objetiva e direta.
O assunto da reportagem pode ser narrado de forma expositiva (narração simples e objetiva do fato), interpretativa (comentário sobre um fato central e sobre outros relacionados a ele) ou opinativa (opinião do repórter ou da empresa que ele representa, conduzindo a opinião do leitor).
A reportagem segue a estrutura básica da notícia: manchete, lide e corpo. Porém, é comum o uso de complementos, como gráficos, quadros informativos, tabelas, trechos de depoimentos e de entrevistas, fotografias com legendas e outros. Ao fazer uma reportagem, podem-se, consultar diversas fontes, mas é importante citá-las.
Segue um exemplo abaixo:

Lixo, impressão digital da sociedade
Lixões e aterros dão a prova de que o brasileiro é perdulário e que o setor público desperdiça dinheiro com usinas mal gerenciadas

Marlyana Tavares

"Pelo lixo de uma família é possível saber muito de seus hábitos, mas, principalmente, o que consome. Se um estrangeiro vasculhasse os nossos lixões, aterros sanitários* ou controlados, diria que, no País, ninguém passa fome, o que é uma piada completa. Em todo o mundo, o Brasil é um dos países com maior quantidade de matéria orgânica jogada no lixo: 70% das 156 mil toneladas produzidas, por dia, por seus habitantes.
Na verdade, o brasileiro é perdulário**, desperdiça o que poderia ser aproveitado. Se há grande desperdício dentro das casas, fora delas há um verdadeiro exército de famílias vivendo do que pode catar nos lixões. Além da comida, nosso lixo é composto em 21,6% de papel, 7,4% de plástico, 3,8% de vidro e 2% de metal, o que evidencia o aumento do consumo de embalagens e produtos descartáveis.
'O lixo é a impressão digital de uma sociedade', diz, com propriedade, a coordenadora de Gestão de Resíduos Sólidos da Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec), Maria de Fátima Abreu. 'As cidades crescem e o lixo aumenta de qualidade e quantidade, com o incremento de materiais estranhos à natureza, o que torna ainda mais difícil o seu tratamento', diz.


os lixões e aterros sanitários existem não só no Brasil mas em outros países, como esse aterro sanitário em Buenos Aires, Argentina.

Devidamente separados e catados, os materiais recicláveis poderiam gerar renda para mais famílias que por enquanto não têm outra fonte de sobrevivência.
O grande desafio da sociedade, hoje, é organizar esse mercado, e, dentro de uma política de inclusão, dar oportunidade aos excluídos do trabalho formal de se beneficiar da reciclagem, que só cresce no País e deve movimentar, esse ano, R$ 3 bilhões. O problema é como se vai fazer isso, de forma organizada e sem desperdício de recursos. (...)"
Jornal Estado de Minas. Belo Horizonte, dez. 2002.

*. Área de terra em que caminhões depositam lixo em camadas. Cada camada de lixo é coberta por uma camada de argila para não atrair moscas.
**. esbanja dor. gastador

De olho na reportagem

No texto "Lixo, impressão digital da sociedade", a repórter inicia o corpo da reportagem de forma expositiva: informa o comportamento perdulário de cidadãos brasileiros e as conseqüências dessa atitude. Para reforçar suas ideias, há depoimentos como o da Coordenadora do Cetec. O trabalho de pesquisa realizado sobre o assunto pode ser percebido pelas informações detalhadas e pelos dados precisos.
Nota-se também uma atitude opinativa da autora em certas passagens do texto - por exemplo, "(...) diria que, no País, ninguém passa fome, o que é uma piada completa" - e interpretativa - "O grande desafio da sociedade (...) sem desperdício de recursos".


Atividades

1- A manchete foi elaborada a partir do trecho de um depoimento: "O lixo é a impressão digital de uma sociedade': Interprete essa frase.

2- Quais são os pontos centrais da reportagem que aparecem no lide?

3- "Se há grande desperdício dentro das casas, fora delas há um verdadeiro exército de famílias vivendo do que pode catar nos lixões." Comente esse fato.

4- Na sua cidade ou região, há uma política de reciclagem do lixo administrada pelo governo? Se houver, comente-a por escrito. Se não houver, escreva o que você gostaria que fosse feito na sua cidade a esse respeito.


Quadro informativo, gráfico e legenda

Para complementar o texto jornalístico, usam-se quadros informativos, gráficos, fotografias com legenda. A finalidade do quadro informativo é apresentar dados que facilitem a identificação e a interpretação das informações de forma rápida, eficiente e objetiva. Tratando-se de dados estatísticos ou que apresentem valores, é comum usar gráfico. O quadro informativo e o gráfico podem ser empregados também em textos científicos, relatórios etc.
A legenda é composta de frases curtas, que descrevem os elementos da foto e retomam alguma informação importante do texto, podendo também fornecer mais dados sobre o assunto tratado e complementá-lo.
Na legenda, não se deve descrever o óbvio (por exemplo, "O governador desce do carro") nem apresentar conclusões precipitadas ("Prefeita prestes a explodir"). Informações adicionais, como "à esquerda", "à direita", "agachado", "de pé" etc. podem ser inseridas ("Plínio, à esquerda, cumprimenta o prefeito de Campinas").
Observe o exemplo abaixo:

Consumo humano rompe limite natural
Relatório do WWF aponta que o uso dos recursos naturais em 1999
foi 20% maior que a capacidade de reposição

Salvador Nogueira
da Reportagem Local

"Os humanos estão consumindo os recursos da Terra mais rápido do que eles são capazes de se regenerar. (...)
Os dados, divulgados ontem em um novo relatório da ONG ambienta lista internacional WWF, mostram uma velha preocupação, mas com um novo viés. 'Pela primeira vez nós conseguimos contabilizar os gastos com energia', diz Garo Batmanian, secretário-geral do WWF no Brasil.
O relatório 'Planeta Vivo 2002' (disponível na internet, em inglês, em www.wwf.org.br) usa como principal índice o que eles chamam de Pegada Ecológica - uma forma de computar o quanto o consumo de um país exigiria em termos de território para a manutenção do equilíbrio. (...)
Tirando a média, cada habitante da Terra precisaria, em 1999, de 2,3 hectares para compensar por seu consumo. Ocorre que, segundo o WWF, no planeta só há 1,9 hectare para cada um. (...)
Adaptado de Folha de S.Paulo, 10 jul. 2002.


Atividades

1- O autor apresenta o quadro informativo "Déficit ecológico": Qual é a função dessas frases curtas em tópicos? Por que foram usadas palavras em destaque?

2- Abaixo do quadro, é apresentado um gráfico de barras, cujo objetivo é mostrar por meio de barras a diferença entre os índices: a barra aumenta quanto maior é o número percentual e diminui ao representar números menores. O gráfico trata de qual assunto?

3-Por que, no ranking, o gráfico salta do 15º para o 55º lugar?

4- Na sua opinião, qual é a função da legenda?


Desenvolvido por Roberto de Avila Zamoner - © 2007 Roberto de Avila Zamoner